terça-feira, junho 07, 2016

Sobre tirar sangue de porquinhos


Lá vou eu novamente escrever sobre sorologia de suínos, que nada mais é que tirar sangue de porquinhos.

No meu trabalho, de 6 em 6 meses, a gente tem essa tarefa: Ir nas propriedades cadastradas como criatórios comerciais de suínos e tirar sangue dos animais reprodutores, para pesquisa (inquerito soroepidemiologico) da doença Peste Suína Clássica (PSC). A PSC é uma doença que pode acabar com um rebanho suíno, trazendo prejuízos e embargos econômicos. Quiser saber mais como funciona toda essa parte político-economica visite essa pagina aqui.

Essa é a parte burocrática da história. A prática é a que vou explicar a seguir.

Porcos são dizimados com essa doença.

Sendo assim, a gente vai lá pra fazer o serviço. Ver se os porquinhos apresentam algum sinal clínico da PSC.
Depois escolhe o porquinho mais velho da propriedade. Detalhe importante a ser destacado é que geralmente o porquinho mais velho da propriedade é um cachaço (macho reprodutor com seus 300 kg e toda testosterona do mundo) ou uma porquinha (matriz), mãe de vários filhotinhos (com seu instinto protetor aflorado - essa também é uma ótima característica para uma boa reprodutora - e seus 200 kg).
Escolhido o porquinho, vamos àquele momento: Fazer a contenção do animal.
O sangue é tirado pela veia do pescoço, para isso e por causa da camada de tecido adiposo gigante neles (gordurinhas), o animal deve estar em pé. Para conter um animal desse em pé, é passado uma corda no focinho deles e essa corda deve ir atrás dos dentes caninos (lembra dos dentes do Pumba, amigo do Timão? Pois é). 
Aí um fica segurando o bichinho pelo focinho enquanto o outro (no caso eu) vai lá e tira o sangue no pescoço.
Guardem essas informações antes da foto: Alguém aí já segurou algum porquinho? Já ouviu o tanto que grita? 
E vocês sabiam que porcos mordem pelas laterais? Ele não te ataca de frente igual a cachorro. Eles viram a cabeça e mordem o que tiver ao lado. Vocês se lembram também que mafioso sempre tem porco no fundo de alguma oficina, né!?!
Dito isso, lá vão as fotos das minhas amigas Bethania e Nathalia da coleta de sangue: 

Esse porquinho é pequeno, porque essa foto foi da Sorologia de leitões. Mas repara no braço do Vagner, que tá segurando a corda. 


Sim, a gente fica com a orelha ao lado da boca do animal que grita e morde para as laterais.
O negócio tem que ser jogo rápido, porque o suíno é um animal que estressa muito fácil e a primeira coisa que a gente vê é o sangue coagulado por estresse dentro da seringa. Além disso tem uma linhagem suína que apresenta morte súbita por estresses. Imagina? Você tá lá, tentando garantir a saúde do animal e só de você manipular o bichinho, ele já cai morto no chão!

Bom, fiz essa coleta em 10 propriedades semana passada. Um produtor tomou um pisão no dedinho do pé que quase quebrou o dedinho. O outro produtor caiu de costas no chão, durante a contenção. 
É sempre um momento de muita reza pra mim. Ativo São Francisco logo que acordo.
Eu me tremo toda pra tirar o sangue, mas eu tiro. Os produtores morrem de rir de mim, mas gente! Fala sério? Não é para ficar com medo? Eu fico.

Final da história desse semestre: Toda coleta realizada, um dedinho contundido, todos os porquinhos saudáveis.

Porquinhos são um dos meus animais prediletos. São extremamente inteligentes e afetuosos. São muito curiosos também. 
Quando estava tirando sangue de uma mãezinha dessas, to lá agachada no chão, maior estresses, eu e a mãe, só escuto um "oinc oinc" vindo do meu colo! Era um dos filhotinhos que veio mais de perto pra ver o que estava acontecendo por ali. Ooooiiiiinnnnn <3 p="">


2 comentários:

  1. segurar de pé, prender corda no dente e tem alguém com seringa do seu lado pronto pra lhe espetar.... e ainda precisa de mais stress para eles se irritarem? putz. então, vc quis dizer que eles são calmos, colaboram e demoram pra se irritar.
    eheheheheh

    ResponderExcluir