sexta-feira, fevereiro 07, 2014

Perdida... mas sempre sabendo onde estava!


(essa foto foi num momento: Não tem trem A nem C... vc está perdida! Não tem como voltar para casa... Aí eu fiquei lá, na estação 14th, tirando foto e pensando... Até pensar muito, pegar o trêm F depois o L, depois o S e chegar em casa! ha)
Então... Como meus amigos sabem, eu sou meio desligadinha, meio bagunceira, nada ordenada. Mas tenho um ótimo senso de localização... levando em consideração o Sol!
Nada muito bom para quando vc está num metrô ou em uma cidade nublada, no inverno, onde o Sol se põe as 4 horas da tarde.
Eu estive em NY por quase dois meses. E andar de metrô por lá é realmente necessário. Fora que para mim, foi extremamente agradável ficar olhando todo mundo, do mundo todo (minha linha principal parava no aeroporto JFK).
Maaaaaasssss.... Se vc não consegue entender o que a mulherzinha do metrô diz em português, imagina em inglês! Principalmente quando tu não é um expert na língua.
As únicas coisas que conseguia entender eram: O trem A não vai passar (esse era o meu trem)... E aí?

Mapa do Metrô de NY
(para quem se interessar em conhecer esse fascinante subway... E só para constar... eu estava em Rockaway Park... a península lá embaixo no mapa... E ia diariamente para a cidade).
E aí eu perguntava umas vinte vezes, para vinte pessoas diferentes, até juntar tudo, e entender o que eu deveria fazer.
Uma vez, eu perguntei para uma senhora como fazer... ela ao invés de me explicar, simplesmente me pegou pelo braço, abriu caminho e foi me encaminhando até o primeiro trem, desceu comigo e me colocou no segundo trem, onde me mostrou no mapa onde eu estava e aonde ia chegar. Uma graça!
Eu e a Déia, uma beleza! A gente combinava uma coisa, e ela dizia: desce em tal lugar e vai para a esquerda.... e eu sempre ia para a minha esquerda, mas ela estava falando da esquerda dela, que por acaso não era a mesma. E depois voltava. Um dia fui parar nas docas... isso porque tava indo para um Club. Mas no final, sempre me mancava ou ela me achava e tudo acabava bem no final.
Aí um dia fui encontrar no Daniel, um alemão, no Central Park. Ele disse, vem pela rua tal! Que rua tal, pelo amor de Deus? Rua dentro do Central Park? Liguei para a Déia. Ela não sabia do que se tratava também. Fui perguntar para os caras do Central Park. Ninguém sabia também... tipo: Moça, o Central Park não tem rua. E eu: Ah tá!
Daniel, seu louco, onde vc está? Sai daí e vem andando pra cá! Aí deu certo.
Fui encontrar o Genka, um amigo ucraniano! Adivinha? Ele disse, desce em tal ponto e vai para a direita na rua tal... E eu fui para a minha direita na rua tal... E me perdi, de novo.
Bom, foram farias perdições, mas todas com finais felizes. Sempre me achava no final das contas.
Moral da história: SE JOGA, CRIATURA!

2 comentários:

  1. Só pra constar, esse negócio que só homem tem senso de direção não é verdadeiro... por isso o GPS me salva... rs ... há, e homem não pergunta mesmo.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, Marquinho! Eu tenho senso de direção... well... só me perco para ir em Estrela de RO.......kkkkkkk.
    E homem não pergunta mesmo, que coisa, né? Eu fico de cara com isso... me dá vontade de pular do carro.

    ResponderExcluir