terça-feira, fevereiro 04, 2014

Dia 02/02
9.715.654.000 Acabei de acordar da minha soneca, onde sonhei com esse numero. Era um sonho sobre estudos meteorológicos. Esse número era referente a distância de alguma coisa em anos-luz.

Aí, logo após essa soneca e ligo o computador vejo as duas notícias horrendas do dia:
- A morte de Eduardo Coutinho, o homem das perguntas simples.
- A morte de Philip Seymour Hoffman, o homem dos personagens.
Tristeza

Mas fica aqui um pedacinho do trabalho de Eduardo Coutinho, que eu simplesmente ADORO!
É comovente, é tenso, é a tal da vida...
Edifício Master

Dia 03/02
Hoje recebi a notícia que seu Areston faleceu na sexta-feira passada. 
A última vez que conversei com ele, o papo foi o seguinte:
-Ei, Seu Areston! Feliz Ano Novo!
-Obrigado, drª, pra senhora eu sua família também.
-E aí? Tudo bem com o senhor?
-Ah não, ixe, to com essa tal de diabetes, pressão alta, hérnia de disco, dor no corpo inteiro.
-Nossa, seu Areston. Mas o senhor tá tratando direitinho?
-To sim, mas eu tenho que trabalhar também, né! Mas não dô conta.
-O senhor já tá aposentado?
-Sim, estou.
-Então, seu Areston. Agora é hora de dar uma descansada. Pegar leve. O senhor não é mais menino, né!?!
-É verdade. Mas é que a gente que trabalha na roça, não consegue parar.

Pois é, seu Areston morreu num acidente de moto.
Descanse em paz, seu Areston.



Nenhum comentário:

Postar um comentário